UT4 – PROJETO INDIVIDUAL – NUNO

A maior obra de proteção de Viseu foi construída em 1472 sob o reinado de D. Afonso V. Desta obra de construção defensiva constituída por sete portas apenas duas permanecem intactas.

Capela Batismal

Espaço da antiga capela funerária mandada construir pelo bispo D. João Vicente em 1460.

O antigo hospital de São Teotónio abriu ao público como Pousada em 2009,  encontrando-se próxima do centro histórico da cidade.

Mesmo ao lado da Porta dos Cavaleiros está a fonte – Chafariz de São Francisco, onde o escritor português do século XIX, Camilo Castelo Branco descreveu o confronto mortal entre Simão Botelho e o nobre arrogante que cortejou Teresa, na sua imortal obra literária  Amor de Perdição.

A fachada da Sé sugere retábulo um maneirista de três balcões sobrepostos, em cujos nichos laterais se resguardam os quatro evangelistas, S. Marcos, S: Lucas, S. João e S. Mateus, deixando ao centro a Senhora da Assunção e S. Teotónio.

Viseu, é uma cidade que foi capaz de conjurar tanto o espaço habitacional, com os elementos do antigo e os espaços verdes.

A cava do Viriato, é a mais antiga estrutura defensiva de Viseu, que é hoje usada como um passadiço, onde é possível visionar grande parte da cidade, com vista privilegiada para a Sé.

Viseu das muitas igrejas que existem, sobressaem sete torres, as torres da Igreja do Carmo, da Misericórdia, da Sé e do Seminário.